A grávida e a saúde oral: a importância do pré-natal odontológico


O acompanhamento odontológico da gestante é tão importante quanto o acompanhamento médico durante a gestação. Um estudo de duas universidades norte-americanas, Case Western Reserve University e Hathaway Brown School, ambas do estado de Ohio, indica que bactérias encontradas na boca da gestante podem contribuir para partos prematuros. A gengivite, por exemplo, que é um problema comum na gestação causada por alterações hormonais, aumenta a concentração de bactérias na boca e a transmissão desses microrganismos para a placenta.

Segundo a especialista em Endodontia e Estética, Dra. Stella Palhares, também diretora da clínica DS Oral Odontologia Avançada, de Ribeirão Preto, os cuidados com a boca devem ser redobrados durante a gestação. “A inflamação que ocorre na gengiva estimula a liberação de citoquininas e prostaglandinas, substâncias que induzem o parto. Assim, sua liberação na corrente sanguínea acarreta microcontrações na parede uterina, podendo ocorrer partos prematuros e ainda levar ao nascimento de um bebê de baixo peso”, afirma.

Uma dica que a odontóloga dá para a mulher que está em idade fértil e planeja a gravidez, é fazer visitas regulares ao dentista visto que o diagnóstico precoce e os cuidados preventivos são de extrema importância para uma gestação segura.

Acostumada a receber mulheres grávidas em seu consultório, Dra. Stella alerta também para outros cuidados, como a necessidade do raio-x para identificar algum problema endodôntico, por exemplo. “Se o dentista decidir que a radiografia é realmente necessária, a grávida pode ser radiografada, porém, optando por fatores que garantam sua segurança, como quantidade e tempo de radiação menores, utilização de avental de chumbo e dirigir o raio principal para a boca, distante da barriga. Porém, deve-se evitar radiografias no 1º trimestre da gravidez, que é o período da embriogênese”, explica. Um dos cuidados da odontóloga neste caso é a utilização em sua clínica do raio-x digital que necessita de um tempo de exposição bem menor em relação ao raio-x convencional. 

Tratamentos estéticos, como facetas, lentes de contato, ortodontia e profilaxia com jato de bicarbonato e ultrassom podem ser realizados nas gestantes sem problemas, com exceção do clareamento dental, que deve ser adiado para depois do nascimento do bebê pois o contato do gel com tecidos moles ou uma possível deglutição do peroxido pode acarretar danos a futura mãe.  “É de extrema importância que a gestante realize a limpeza diária dos dentes com uso adequado da escova e fio/fita dental e enxaguante bucal, além de optar por uma alimentação equilibrada. Se houver algum ponto da gengiva com sangramento, é importante redobrar a atenção na limpeza do local. Se após três dias a gengiva continuar sangrando, a gestante deve procurar a ajuda de um dentista”, completa.