Higiene oral na Implantodontia


A higiene oral é considerada pela maioria dos pesquisadores como um importante fator de risco para o desenvolvimento das doenças peri-implantares (doença que acomete a gengiva ao redor do implante). Ou seja: a má higiene oral aumenta a possibilidade de se desenvolver uma peri-implantite, o que não ocorre na dentição natural, onde encontramos indivíduos extremamente resistentes às doenças periodontais e que, apesar da má higiene oral, não desenvolvem doenças periodontais mais destrutivas.

 

Embora possuam reações diferentes, os implantes, assim como os dentes, são suscetíveis ao acúmulo de placa e formação de cálculo. Desta forma, o combate ao acúmulo de placa deve ser uma condição imprescindível na manutenção da saúde peri-implantar. A presença de placa bacteriana pode ser resultante de uma má higiene, inerente ao paciente, ou de uma dificuldade de limpeza de locais reabilitados com implantes. Sabe-se que muitas reabilitações implantossuportadas dificultam o controle da placa bacteriana por parte dos pacientes, visto que muitas vezes o posicionamento dos implantes não foi o mais adequado para a construção de próteses com formatos favoráveis a autolimpeza e ao controle de placa.

 

Desta forma, a orientação de higiene oral devem ser prescritas e corretamente executadas pelos pacientes. Técnicas de higiene oral peri-implantar, materiais e equipamentos que facilitam o controle da placa devem ser de conhecimento do profissional, para que esse possa repassar as suas indicações precisas aos pacientes. Além disso, reabilitações protéticas com formato adequado também devem ser empregadas para permitir um bom acesso e higiene ao redor dos implantes.

 

Assim sendo, torna-se necessário a remoção de todo e qualquer fator irritante e que favoreça ao acúmulo de placa (próteses mal adaptadas, excessos de restaurações, dentes condenados, etc.) para que o paciente possa executar a higienização com facilidade. Muitas vezes, é necessário que após a remoção destes fatores uma profilaxia e limpeza bucal sejam executadas para remover depósitos de difícil acesso. Só então o paciente poderá executar a higiene corretamente.

 

Quer queiramos ou não, a placa bacteriana ainda tem um papel importante em muitas das doenças que atingem a boca. A mucosite e a peri-implantite são mais duas dessas, que sofrem uma influência direta do acúmulo de placa bacteriana.

 

Orientar os pacientes sobre como executar uma boa higiene oral faz parte do nosso dia a dia de dentistas. 

 

fonte: http://www.inpn.com.br